domingo, 31 de julho de 2011


                                                                     Tô a toa
                                                                      na boa
                                                                esperando você

domingo, 24 de julho de 2011

Há dias em que o
desejo de ti é tão
intenso e cortante
que sinto vontade
de me transportar
para o teu corpo

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Nunca fico só de ti
Quando vais embora
tua ausência
se transforma
em doce melodia
na minha imaginação
e o vento traz teu cheiro
para alegrar meu coração

segunda-feira, 18 de julho de 2011

fujo assustada
ele vem atrás
com  asas sedutoras
e um eterno  olhar
cheio de promessas
me rendo ao encanto
daquele jeito tímido
e daquela voz suave
depois de saciado o desejo
o cheiro do amor
entranha no meu  corpo
implorando por
um novo encontro
sofro com a dor da saudade
esperando paciente
para ser feliz
de novo naqueles
braços de anjo..

sexta-feira, 15 de julho de 2011

O amor me deu férias.
Hoje não quero saber de ler,
escrever, sair pela rua, comer,
nem conversar com ninguém.
Estudar , nem pensar.
E por favor, não dá nem
para ouvir a voz de gente chata.
Hoje tudo o que eu quero é ficar
deitada, encolhidinha no quarto escuro,
escutando música, com o pensamento
longe, fora do mundo e das obrigações.
Pensando somente em nós dois.
Depois de ser consumida de forma tão poderosa
pelo amor, talvez eu me livre dessa angústia
que insiste em queimar meu  peito
e volte a sintonizar com a terra.
Melhor não fugir do que sinto.

sábado, 9 de julho de 2011

despida das ilusões
tirei a maquiagem
enxuguei as lágrimas
joguei as sandálias
no canto do armário
revirei a alma
do avesso, remexi
meu lixo interior e
percebi desencantada
a falta de sintonia do
nosso amor
com o coração dilacerado
desamado arrasado
enxerguei a verdade :
para sobreviver é
preciso não mais 
te querer

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Felina




Felina
te arranho
até as entranhas
num jogo de
manha
sedução
e fantasia

mansa
molhada
e atrevida...
caminho
em silêncio
por entre
frestas


afio as garras
e possuída
ataco faminta
cheia de tesão


instigado
seduzido
enfeitiçado
cais mais
uma vez
na minha
cama
me assanha








sou tango fora do compasso carro sem direção boteco sem cerveja corpo sem tesão desejo sem vontade violão sem cor...